Curso de Graduação em
Química – Licenciatura

Oportunidades Acadêmicas

Programas de Monitoria

Segundo a resolução 05/03, do CEPE, que fixa normas para o programa de monitoria da Universidade Federal de Viçosa, a monitoria é exercida por estudantes regularmente matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação da UFV, nos níveis I e II, respectivamente, em colaboração com professores, outros estudantes e administração, visando alcançar os seguintes objetivos:

1- melhorar o nível de aprendizado dos alunos, promovendo contato mais estreito entre discentes e docentes e com o conteúdo das matérias da(s) disciplina(s) envolvida(s);

2- propiciar ao monitor a oportunidade de enriquecimento didático-científico, capacitando-o a desenvolver melhor as atividades de ensino, pesquisa e extensão; 3- propiciar ao monitor a oportunidade de desenvolvimento científico e cultural; permitindo-lhe ampliar a convivência com pessoas de interesses diversificados; e 4- tornar a monitoria parte integrante do processo educativo dos estudantes que a exerce.

O monitor, sob a orientação e a responsabilidade de um professor da disciplina, tem a função auxiliar o docente nas tarefas didáticas, inclusive na preparação de aulas e em trabalhos escolares, além de reforçar o elo entre alunos e professor tentando detectar possíveis falhas no processo ensino aprendizagem e avaliar o andamento da disciplina, do ponto de vista discente.

Tendo em vista o caráter formativo da monitoria, a Coordenação do Curso de Licenciatura em Química tem incentivado professores e alunos a participarem desta atividade.

Programa de Tutoria

Segundo a resolução 06/11, do CEPE, que fixa normas para o programa de tutoria da Universidade Federal de Viçosa, o Programa de Tutoria nas Ciências Básicas – PROTUT, da UFV é destinado a auxiliar estudantes (tutorandos) ingressantes na UFV e àqueles reprovados nas disciplinas básicas no decorrer do curso de graduação.  O PROTUT tem como objetivo ampliar o atendimento aos estudantes recém ingressos na Instituição, no sentido de minimizar deficiências de conhecimentos básicos necessários às disciplinas introdutórias dos cursos de graduação, diminuindo a retenção e a evasão, com vistas a elevar o índice de diplomação  e, consequentemente, promover a democratização do ensino superior, com qualidade. No âmbito deste Programa serão criadas disciplinas de Tutoria (TUT), além das já existentes, nas quais tutores e tutorandos desenvolverão atividades de ensino, com o objetivo de melhorar a aprendizagem dos conteúdos básicos. Essas disciplinas serão oferecidas concomitantemente às disciplinas do curso de graduação, ao longo dos semestres letivos, e no período de verão.

Tendo em vista o caráter formativo da tutoria, a Coordenação do Curso de Licenciatura em Química tem incentivado professores e alunos a participarem desta atividade.

 Ciências sem fronteiras

O Programa Ciência sem Fronteiras visa propiciar a formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras, com vistas a promover a internacionalização da ciência e tecnologia nacional, estimulando estudos e pesquisas de brasileiros no exterior, inclusive com a expansão significativa do intercâmbio e da mobilidade de graduandos e graduados.

O programa tem como objetivos específicos:

I. Oferecer oportunidade de estudo a discentes brasileiros em universidades de excelência, bem como oferecer a possibilidade de estágio programado de pesquisa ou inovação tecnológica com acompanhamento;

II. Permitir a atualização de conhecimentos em grades curriculares diferenciadas,

possibilitando o acesso de estudantes brasileiros a instituições de elevado padrão de qualidade, visando complementar sua formação técnico-científica em áreas prioritárias e estratégicas para o desenvolvimento do Brasil;

III. Complementar a formação de estudantes brasileiros, dando-lhes a oportunidade de vivenciar experiências educacionais voltadas para a qualidade, o empreendedorismo, a competitividade e a inovação;

IV. Estimular iniciativas de internacionalização das universidades brasileiras;

V. Possibilitar a formação com qualidade de uma força de trabalho técnico-científica altamente especializada.

 Licenciaturas Internacionais

Este Programa que estimula o intercâmbio de estudantes de licenciaturas, em nível de graduação sanduíche, é uma ação que objetiva ampliar e dinamizar a formação de professores, iniciativa esta que está em consonância com as políticas da UFV, tanto da contínua busca de melhoria de seus cursos quanto de internacionalização da Universidade.

Projetos de extensão

Atualmente dois projetos de extensão são desenvolvidos por docentes do curso:

Projeto 1: “Campus Florestal Pró-Ciências”

Descrição: Projeto financiado pelo MEC desde 2011, no Programa PROEXT. No segundo ano de sua realização, em 2012, o projeto tem atuado junto a estudantes e professores da educação básica, da escola estadual de Florestal, nas áreas de química, física e biologia. O projeto atua de forma interdisciplinar, com atividades de ensino diversificadas e lúdicas, voltadas aos estudantes do ensino médio. Ao mesmo tempo o projeto envolve as bolsistas (licenciandas) e professores da rede estadual, na pesquisa e desenvolvimento de metodologias diversas de ensino.

Situação: Em andamento;

Alunos envolvidos: Graduação (3)

Integrantes: Poliana Flávia Maia (UFV) – coordenadora / Robson Luiz Santos (UFV) – Integrante / Eduardo França Castro (UFV) – Integrante / Eliriane Caroline da Silva (UFV) – Bolsista / Leidiane da Silva (UFV) – Bolsista / Thayara Hellen Maltez (UFV) – Bolsista.

Financiador(es): MEC – Auxílio financeiro.

Número de orientações em andamento: 3. 

Projeto 2: “Química, Ciência e Cidadania: Qualidade de Água e Qualidade de Vida”

Descrição: Projeto financiado pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, desde 2011. No segundo ano de sua realização, em 2012, o projeto tem atuado junto à comunidade local, promovendo um levantamento sobre as condições de uso das águas do município de Florestal, associado a uma análise da qualidade da mesma.

Situação: Em andamento;

Alunos envolvidos: Graduação ( 3)

Integrantes: Poliana Flávia Maia (UFV) – coordenadora / Sibele Augusta Ferreira Leite (UFV) – Integrante / Cláudio dos Santos Ferreira (UFV) – Integrante / Marco Túlio da Silva Faria (Cefet-MG) – Integrante / Danilo Augusto Mendes Viana (UFV) – Bolsista / Júlia Brandão Gontijo (UFV) – Integrante

Financiador(es): PEC/UFV – Auxílio financeiro.

Número de orientações em andamento: 3.

Atividades de pesquisa

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação (PPG) da UFV tem como Missão “definir e executar políticas de incentivo à pesquisa, pós-graduação, iniciação científica e capacitação de recursos humanos, objetivando a excelência da participação da Universidade no desenvolvimento científico e tecnológico do Estado e do País”.

Iniciação científica

A Iniciação Científica é voltada para o desenvolvimento do pensamento científico e da iniciação à pesquisa de estudantes de graduação do ensino superior. Os objetivos gerais da IC são: contribuir para a formação de pesquisadores e contribuir para reduzir o tempo médio de permanência dos alunos na pós-graduação.

Entre os objetivos específicos tem-se:

  • possibilitar maior interação entre a graduação e a pós-graduação;
  • qualificar alunos para os programas de pós-graduação;
  • estimular pesquisadores produtivos a envolverem estudantes de graduação nas atividades científica, tecnológica e profissional.;
  • proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa;
  • estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa;

Com relação ao curso de Química-Licenciatura, os professores estão sempre em busca de projetos de pesquisa que possam ser realizados.

No momento, estão em andamento três projetos que se encontram resumidos a seguir:

Projeto 1: “Síntese de derivados do Fulereno-C60: Potenciais Agentes Biológicos”

Descrição: Projeto financiado pelo Programa Primeiros Projetos (PPP) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) que tem como objetivos a obtenção de derivados catiônicos hidrossolúveis do fulereno C-60 e avaliação biológica dos compostos sintetizados.

Situação: Em andamento;

Alunos envolvidos: Graduação ( 1) .

Integrantes: Rosemeire Brondi Alves (UFMG) – Integrante / Inácio Luduvico (Campus UFV-Florestal)- Integrante / Maurício V. B. Pinheiro (UFMG)- Integrante / Rossimiriam Pereira de Freitas – (UFMG) Integrante / Leandro José dos Santos (Campus UFV-Florestal) – Coordenador. Financiador(es): FAPEMIG – Auxílio financeiro.

Número de orientações em andamento: 1.

Projeto 2: “Obtenção de novos derivados tetrazólicos a partir de carboidratos: Potenciais Agentes Terapêuticos”

Descrição: Este trabalho tem como objetivos a preparação de derivados tetrazólicos inéditos e avaliar a propriedade antimalárica dos mesmos.

Situação: Em andamento;

Alunos envolvidos: Graduação (3).

Integrantes: Rosemeire Brondi Alves (UFMG) – Integrante / Inácio Luduvico (Campus UFV-Florestal) – Integrante / Gustavo Viana (UFSJ)-Integrante/ Leandro José dos Santos (Campus UFV-Florestal) – Coordenador.

Financiador(es): FAPEMIG (bolsa); FUNARBE (bolsa).

Número de orientações concluídas: 2.

Número de orientações em andamento: 1.

 Projeto 3: “Produção de Materiais Nanoestruturados Magnéticos à base de Ferro e Carbono para Aplicações Tecnológicas”

Descrição: O objetivo geral deste projeto é a síntese e caracterização de materiais nanoestruturados magnéticos à base de ferro recobertos por carbono por um processo simples, eficiente e de baixo custo para serem utilizados em aplicações ambientais, catalíticas e na quebra de emulsões óleo-água.

Situação: Em andamento;

Alunos envolvidos: Graduação (1).

Integrantes: Rochel Montero Lago (UFMG) – Integrante / José Domingos Ardisson (CDTN) – Integrante / Juliana Cristina Tristão (Campus UFV-Florestal) – Coordenador.
Financiador(es): FAPEMIG (bolsa) .

Número de orientações em andamento: 1.

Atividades de ensino

A Pró-Reitoria de Ensino (PRE) da UFV, além de atuar na organização, normatização e avaliação do ensino de graduação da universidade, atua no fomento, incentivo e proposição de diversos projetos na área de ensino. Entre os projetos e programas que foram elaborados e têm sido implementados pela PRE são as tutorias, monitorias, o PIBEN e o FUNARBEN.  Os programas de tutoria e monitoria serão descritos neste documento, nos programas de bolsas das pró-reitorias.

PIBEN e FUNARBEN

Esses programas buscam a interação entre pesquisadores, docentes e discentes, com vistas à efetivação da melhoria estrutural, organizacional e funcional do ensino. O PIBEN é fomentado exclusivamente pela PRE e o FUNARBEN trata-se de uma parceria entre a PRE e a FUNARBE. Esses programas contemplam pesquisas a serem desenvolvidas no contexto dos Cursos de Graduação dos três Campi da universidade, buscando o estudo, a implementação de iniciativas e experiências didáticas e metodológicas que visem à melhoria do processo de ensino-aprendizagem na UFV.

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID

Este programa tem apoio financeiro da CAPES e visa fomentar a iniciação à docência de estudantes das instituições federais de ensino e preparar a formação de docentes em nível superior, em cursos de licenciatura plena, para atuar na educação básica pública. Participam do programa PIBID 2011-2013 cinco estudantes do curso de Licenciatura em Química do Campus UFV-Florestal.

Programa Jovens Talentos

Nesse programa a CAPES concede bolsas de estudos a estudantes que recém-ingressados nas universidades federais e institutos federais de educação, ciências e Tecnologia. A expectativa é que os bolsistas desse programa estejam aptos após um ano a passarem para as bolsas de iniciação cientifica, PIBID ou programas Ciências sem fronteira.

 Outros

Empresa Júnior (EJ)

Esta organização, com identidade civil própria e finalidade exclusivamente pedagógica, é constituída por alunos de graduação que desenvolvem estudos e, ou, trabalhos para empresas, entidades e a sociedade em geral, nas respectivas áreas de atuação. Na UFV existem cerca de 20 empresas juniores que desenvolvem projetos visando contribuir para o crescimento profissional dos graduandos.

SAIBA MAIS SOBRE A UFV

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress